Como eu passei no vestibular de medicina na federal?

Como eu passei no vestibular de medicina na federal?

CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Meu nome é Luiz Alberto Bomjardim Pôrto. Eu fui aprovado em 4 vestibulares de medicina, sendo 2 particulares e 2 federais. Iniciei minha formação na UFPA (Universidade Federal do Pará) e depois fiz vestibular para a UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) onde eu me formei. No ano de 2005 iniciei as aulas no tão sonhado curso de medicina. Formei em medicina em 2011. Depois, passei na residência médica de dermatologia. Hoje atuo como médico dermatologista.

Sempre fui muito focado em passar no vestibular de medicina desde o ensino fundamental, o que me motivou a me esforçar bastante para atingir o tão sonhado sucesso de me tornar universitário de medicina em uma universidade pública.

Nos 3 colégios onde eu estudei (Alvorada, ESFA e Ibituruna), sempre foi muito claro para todos que eu tinha o objetivo de passar em medicina e que, por isso, eu me esforçava ao máximo nos estudos o tempo todo. Eu costumava ficar entre os primeiros lugares em nota nas provas e simulados.

Como reconhecimento pela minha dedicação, ganhei bolsa de estudos em 2 pré-vestibulares, sendo que em um deles eu ainda estava no 2º ano do ensino médio.

Mas passar no vestibular de medicina em uma instituição pública envolve muito mais do que esforço nos estudos isoladamente. Há outras variáveis também muito importantes: decisão, motivação, objetivo, planejamento, metas, estabilidade emocional e treinamento.

O primeiro passo é decidir se quer ser médico. Lembre-se que a realização profissional pode ser alcançada em qualquer profissão. Após definida a profissão, o segundo passo é se motivar para atingir o objetivo que é ser aprovado na prova do concurso do vestibular. Esses passos iniciais são os mais importantes, mas a partir de então se inicia a batalha pela aprovação.

Quantas horas de estudo você acha que são necessárias para ser aprovado em um vestibular concorrido como o de medicina da UFMG? Eu garanto que são milhares de horas diluídas em anos de estudo, ou seja, centenas de dias sentado na cadeira lendo e exercitando. É como uma maratona onde todo o esforço faz a diferença. Não adianta ficar estudando dia e noite na véspera do vestibular, se não se estudou nada nos meses anteriores. O estudo no ensino fundamental, médio e no cursinho garantem uma bagagem de conteúdo para ser fazer o concurso, mas são apenas a base para o candidato poder fazer a prova. O sucesso é individual e as instituições de ensino servem apenas para apoio e direcionamento.

É essencial ter um planejamento associado a disciplina através de um cronograma de estudo diário, semanal, mensal, trimestral, semestral e anual. Pode ter período de lazer e pode ter boas horas de sono de noite? Claro que sim! É preciso ter tempo separado para o estudo e para a vida pessoal, desde que esteja tudo bem organizado. Ficar estudando de dia, de noite e de madrugada na véspera da prova vai surtir pouco resultado, mas estudar um número fixo de horas todos os dias da semana o ano todo costuma ter ótimos frutos.

É essencial ter metas de curto, médio e longo prazo. Assim, a aprovação vai sendo alcançada um pouco a cada dia. É como encher uma caixa d’água de 10 mil litros em cima de um morro bem alto usando um balde de 5 litros. Vai ser necessário carregar o balde 2 mil vezes e vai de morar muito tempo, mas o objetivo final vai ser atingido. Agora vamos ser mais práticos! O cursinho ou o colégio vão fornecer um número específico de apostilas ou livros em um ano mais os simulados e as provas antigas do vestibular. É necessário ler um número mínimo de páginas de apostilas ou livros ao dia para conseguir ler todo o conteúdo da escola/pré-vestibular até o final do ano. É necessário fazer e corrigir um número mínimo de simulados e provas antigas ao mês para poder ter feito todas as questões preparatórias para o vestibular até a data da prova.

É possível fazer estatísticas do rendimento do estudo com número de apostilas estudadas por dia, semana, mês e ano. Um exemplo é calcular a média de notas em simulados e provas antigas no primeiro trimestre do ano e colocar uma meta de melhora de nota a cada novo trimestre de modo a atingir a média da nota da prova de vestibular do ano anterior.

A estabilidade emocional é outro ponto importante, por isso é necessário ter horário reservado para lazer, atividade física e sono. Um candidato com muito conhecimento, mas instável emocionalmente pode ter dificuldade de terminar a prova do vestibular ou trocar as respostas sem querer no cartão de respostas do gabarito.

O treinamento de questões é outra habilidade essencial, pois ter o conhecimento não é o suficiente. É necessário saber aplicar o conhecimento de acordo com as habilidades enfatizadas pela banca que confecciona a prova. Por isso, o foco dos estudos deve ser direcionado para a resolução das questões das provas antigas.

O meu sucesso no vestibular foi classificado por muitas pessoas como: sorte, talento, inteligência, benção, suporte sócio familiar e privilégio de ter estudado em boas escolas. Eu particularmente considero que minha família me permitiu um ambiente favorável para os estudos e eu soube aproveitar a oportunidade com decisão, motivação, objetivo, planejamento, metas, estabilidade emocional, treinamento, esforço, disciplina e sacrifícios.

Dr Luiz Alberto Bomjardim Pôrto- médico dermatologista

 

 

 

PARA REFLETIR, VACA NÃO DÁ LEITE

“Cortella, costumava dizer aos filhos quando crianças: 
– Quando completarem 12 anos contarei o segredo da vida a vocês.

Quando o mais velho completou 12 anos, acordou o pai todo ansioso para saber o segredo da vida. O pai disse, contarei, mas, você não poderá revelar aos seus irmãos.
Eis o segredo: 
– Vaca não dá leite.
-Hã?
– Vaca não dá leite. Você tem de tirar. Você precisa acordar 4h da manhã, ir ao pasto, entrar no curral cheio de fezes, amarrar rabo e pernas da vaca, sentar no banquinho e fazer o movimento certo! 
Esse é o segredo da vida. Vaca, búfala,cabra, não dão leite. Ou você tira ou não tem leite.
Existe uma geração que acha que vaca dá leite, ela acha que as coisas são automáticas. Eu quero, eu peço, eu ganho.
A felicidade resulta do esforço. A ausência de esforço gera frustração.”
(Mário Sérgio Cortella)

CompartilheShare on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Fique por dentro das últimas novidades